Quem sou eu? Mãe de três com muito amor

Certamente a pergunta mais difícil de responder!
Hoje com 28 anos e  três filhos, ainda não sei responder essa perguntar com muita clareza. Talvez aos 17 eu soubesse quem eu era, ou pensava. Eu sabia a classificação que as pessoas ao redor me davam (poucos sorrisos, personalidade forte e decidida).
Foi aos 21 que comecei a descobrir que eu posso ser quem eu quiser ser, não preciso ser o que as pessoas dizem que eu sou, não só eu, mas todos nós temos que acreditar que somos pessoas além dos rótulos, pessoas que podem mudar todos os dias. Não somos produtos que precisam de etiqueta, somos pessoas, precisamos de ensinamentos e sabedoria… Foi então que eu comecei a buscar quem SOU EU!
Me olho no espelho e não sei muito bem, isso não é crise de identidade, isso quer dizer que aceito as mudanças do tempo e aprendo todos os dias coisas novas. Sei quem quero ser, quem vou ser, sei onde vou chegar, sei que o caminho me ensinará, portanto não posso me classificar e restringir á adjetivos.
Ah, mas uma parte é diferente…
Uma parte de mim é convicta de quem sou, essa ocupa mais de metade!
Eu sou MÃE, aquelas com letra maiúscula mesmo. Sou profissão Mãe, sou Mãe por amor, sou Mãe na dor, sou Mãe brava, Mãe que briga, Mãe que brinca, Mãe que dá uns tapas também, Mãe que dá carinho, Mãe que enche de beijinhos..
Quando era criança minha brincadeira preferida era ser Mãe. Quando cresci tive medo de um dia não me tornar Mãe, quando finalmente senti o primeiro susto de um positivo comecei a descobrir e iniciar uma nova mudança no meu eu. Hoje quando me perguntam o que eu faço ou quem sou, digo com todas as letras e firme, SOU MÃE!
Ser Mãe me ajuda na outra parte, me ajuda aprender mais, muito mais do que ensino.
Todo filho vem com missão, cada um vem com uma muito diferente do outro e é aí que inicia a minha mudança, pois se eu não for uma pessoa melhor por mim, eu quero e serei melhor por eles.
E então se a pergunta mudasse, se você me perguntasse quem eu quero ser?
Eu iria te responder que eu quero ser muito, tudo muito, eu quero ser o melhor que eu puder, eu quero ser uma pessoa muito boa, uma pessoa que ajuda o próximo, uma pessoa que sente orgulho de si própria, uma pessoa da qual os filhos e família sentem orgulho, uma pessoa capaz de levar amor ao próximo e mostrar para ele o quanto essa vida vale a pena e que a vida pode ser plena.
Quero ter uma vida de paz, quero fazer a diferença, eu não quero ficar sentada esperando o mundo mudar, vou me mudar para que o mundo mude, eu quero todos os dias ter o privilégio de acordar para aproveitar essa vida e ser grata por ela.
Marina Moura Reis
Mãe! Maede3!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *