Mulheres especiais! Na saúde e na doença!

 

Meu nome é Flávia Cupello Tamiozzo, tenho 40 anos, sou casada há 11 anos, tenho 02 filhos lindos e sou médica há 15 anos.

Fui convidada a escrever sobre como as mulheres são especiais e, como na minha profissão lido diariamente com um momento muito delicado da vida das pessoas, resolvi falar sobre a atitude da mulher frente ao binômio saúde/doença.

A prevenção é um ato historicamente feminino, desde a frase “filho, leve um casaco” até as mamografias e visitas ao ginecologista anualmente. As mulheres são, sabidamente, o gênero que mais procura assistência médica na ausência de doença. Na minha opinião isso já demonstra o quanto somos atentas à saúde e ao cuidado (palavra que, na minha opinião devia ser um substantivo feminino, rsrs) com aqueles que amamos.

A mulher também é conhecida por tolerar melhor os momentos de doença. Os homens quase morrem com um simples resfriado, podemos imaginar o que aconteceria com a humanidade se a dor de ter um bebê (seja parto normal ou cesáreo) fosse uma tarefa masculina! As mulheres reclamam menos e se esforçam mais para suportar. Normalmente a recuperação feminina ocorre de maneira mais rápida. Obviamente não temos estudos científicos realizados para fundamentar essas questões, mas é uma percepção muito clara no meio médico e na sociedade em geral também.

Nos consultórios um outro ponto nesse contexto que salta aos olhos é que as mulheres quase sempre estão acompanhadas de outras mulheres (irmãs, mãe, tias, primas, amigas,…), enquanto os homens habitualmente têm as companheiras ao seu lado. A mulher cuida de si e dos outros muito naturalmente (olha a palavra cuidado sendo lembrada de novo!).

Isso leva à abordagem de uma outra questão importante. Nos momentos críticos vemos muitas mulheres sendo abandonadas pelos companheiros. Não me refiro apenas a um abandono físico, que acontece em muitos casos, mas principalmente ao abandono emocional, um desamparo, que é extremamente frequente. Na contramão vemos as companheiras perseverando ao lado de seus parceiros até o fim. Lembro sempre que existem exceções a todas as regras!

Mulheres são seres especiais desde sempre, mas tornam-se ainda mais fantásticos quando colocadas em momentos que requerem força, coragem e fé! Ah, e como esses seres de sexo (supostamente) frágil têm a capacidade de suavizar as circunstâncias e de amenizar o sofrimento, delas e dos outros.

Flávia Cupello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *