Jacqueline

Muito prazer, sou a Jacqueline. Uma mulher de 42 anos, divorciada desde os 24, mãe da Maria Júlia e filha de Cézar e Fátima. Sou a primogênita de três irmãs e nossa relação não é só de sangue, mas também de almas, pois elas são meu porto seguro e meu elo de afeto. Sou uma pessoa grata. Grata a Deus, grata a vida, grata ao universo… Gratidão por tudo que vivi e que ainda vou viver, gratidão inclusive, pelos “tombos” no caminho da vida, já que foram através deles que realmente aprendi a ser humana, a ser mulher, a ser filha, a ser mãe, a ser namorada ou esposa e a ser profissional.

Fui mãe aos 20 anos de idade e me casei, mas não amadureci na raça, levou tempo e muitas lágrimas caíram para que isso acontecesse. Fui uma criança cuidando de outra criança na relação com minha filha por um longo tempo (ainda acho que tenho muito aprender, mas que mãe tem a certeza de estar no caminho certo?). Sorte minha (benção e privilégio) sempre ter minha mãe, irmãs e pai desde sempre ao meu lado, seja para me apoiar ou para me corrigir. Não há como ser mãe quando ainda não aprendemos nem a ser filha, uma relação mãe e filha é complexa, a força é sempre intensa, seja num sentido enriquecedor ou no sentido traumático. Foi quando me tornei mãe, que aprendi a ser filha, e aprendendo a ser filha consegui finalmente enxergar a beleza e a angústia de ser mãe.
Sou o tipo de mulher que se divide entre o empoderamento e o conto de fadas, onde ninguém vai dizer como devo me comportar ou o que devo fazer, mas fico derretida quando demonstram afeto através de uma puxada de cadeira em um restaurante ou uma mensagem no meio do dia perguntando se você almoçou.
Acredito que na vida tudo volta pra você de alguma forma, demore o tempo que for. Se você emana amor esteja pronta para recebê-lo de volta e se você por alguma razão está emitindo algo ruim, pare agora! Não vai gostar do que o universo trará de volta pra você, o boomerang da vida não para nunca…

Sigo a vida sempre ao lado dos que amo, não sei viver sem amor, é meu principal nutriente. Ah! Sou apaixonada por um vilão da vida moderna, o carboidrato! Como amo esse danado! Prezo por retidão, respeito, comprometimento, responsabilidade e principalmente humanização no quesito trabalho. Assumo meu TOC sem vergonha, sou organizada e tenho uma neura com limpeza… rsrs

Sou leal feito um cão, aos amigos, a família e ao amor, e exijo o mesmo.
Tenho em mente sempre que: “O que tem que ser nosso, é nosso e ninguém tasca”.
Sou abençoada por ter enfrentado muitas turbulências no caminho, porque foram nelas que encontrei o meu rumo de calmaria. Sigo nesse caminho sabendo que, possivelmente, outras turbulências virão, mas sigo confiante, porque também há muita luz, paz e amor pela frente.
Sou a Jacqueline e minha história está só começando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *