No Natal de 2018 eu ganhei um presente

Antes de tudo, preciso me apresentar. Meu nome é Marília, tenho 29 anos, sou casada e mãe da Olívia. Psicóloga por formação, trabalho atualmente com alimentação inclusiva por causa de um presente inusitado que recebi no final do ano passado – e que virou minha vida do avesso…

.
Acordei num domingo sentindo uma dor muito forte do lado esquerdo do rosto e achei que poderia ser por conta da posição que eu dormi. Os dias foram passando e a dor foi se concentrando na região do olho. Eu também sentia um incômodo, como se um fiapo de algodão estivesse preso nos meus cílios…
.
Uma semana depois, fui ao DETRAN renovar minha habilitação e, durante o exame oftalmológico, me dei conta de que eu não estava enxergando nada com meu olho esquerdo.
.
Procurei um oftalmologista, que confirmou que eu tinha apenas 10% de visão no olho esquerdo, mas que meus olhos estavam bem. Ele me encaminhou para um especialista em retina, que suspeitou de papilite e me encaminhou para um neurologista. Já sai de uma consulta direto pra outra sabendo que eu precisaria internar.
.
O neurologista discordou da hipótese de papilite, mas concordou com a necessidade de internação. A suspeita agora era de neurite óptica e eu precisaria fazer alguns exames antes de iniciar a pulsoterapia.
.
Internei no dia seguinte, fiz ressonâncias, mil exames de sangue e liquor. Os exames confirmaram a neurite e, com ela, também recebi o diagnóstico de ESCLEROSE MÚLTIPLA (confirmado por outros 2 neurologistas no hospital). Sim, pessoas, eu sou esclerosada!
.
Apesar do peso do diagnóstico, eu não surtei. Minha preocupação era com a Olívia e com a reação da minha família. Aproveitei o tempo de hospital pra estudar. Pesquisei muito, li muitos relatos de outros pacientes… porque já que eu tenho EM, resolvi que iria lidar com ela da melhor maneira possível e que eu iria fazer de tudo pra viver com mais qualidade de vida.
Marquei consulta com nutricionista e resolvi começar a me exercitar assim que tivesse alta.
.
Depois dos 8 dias de internação, fiz um retorno com aquele primeiro neuro. Quando mencionei  a ideia de consultar com nutricionista, ouvi um “o importante é você tomar os remédios”. Obviamente não gostei nada, já soube que queria outro médico e saí da consulta direto pra livraria.
.
Comprei todos os livros que encontrei sobre EM e outras doenças auto imunes. Comecei meus estudos pelo “Como tratar doenças auto imunes” e super recomendo a leitura. Esse livro foi determinante para o direcionamento do meu tratamento… No YouTube assisti a um TEDtalk da Terry Wahls. Nos vídeos sugeridos, tinha um comparando o protocolo Wahls com o protocolo Coimbra – até então totalmente desconhecido pra mim, imaginei que seria algo de Portugal.
.
Uma amiga me sugeriu consultar com o Dr Cícero Galli Coimbra. Resolvi pesquisar por ele no Instagram e encontrei a #protocolocoimbra.   Por essa hashtag pude ler muitos relatos de pacientes. Relatos que me encheram de esperanças. Era exatamente esse tipo de tratamento que eu estava procurando!
.
Corri para agendar minha consulta com uma médica do PC – descobri que eu já vinha apresentando sintomas desde a época da faculdade (!) – e iniciei meu tratamento no dia 13 de janeiro. E por que eu só resolvi falar sobre isso agora? Porque  completei 6 meses de protocolo e saí da minha consulta de acompanhamento ainda mais confiante.
.
Meus exames estão excelentes, tenho muito mais disposição (a EM deixa a gente com uma fadiga mortal), durmo melhor, meu humor melhorou, me apaixonei pelo pilates, me encontrei na cozinha, pele e cabelo também estão ótimos e NÃO TOMO NENHUM REMÉDIO!
.
No natal de 2018 eu ganhei um presente. Depois da Olívia, o presente mais importante que eu já ganhei. Tenho Esclerose Múltipla e sou muito grata por isso. Sou grata por ter recebido toda essa assistência médica (foram 5 médicos até eu chegar no PC) e por eles terem me encaminhado de maneira tão rápida. Sou grata inclusive pelo médico ter sido arrogante quanto a minha vontade de “fazer dieta”. Foi graças a essa postura que eu fui pesquisar outras opções. Sou grata a minha nutricionista, que soube acolher todas as restrições do protocolo e as minhas e sempre adequa minha dieta pra caber na minha rotina. Sou grata a minha fisioterapeuta, que me acompanha tão de perto, que nunca teve pena de mim e que me faz desafiar meu corpo todos os dias. Sou grata a minha médica, que me passa toda a segurança do mundo, acolhe minhas esquisitices e é sempre de uma competência, atenção e delicadeza impressionantes. Sou grata ao meu marido e a minha família, por comprarem a idéia junto comigo, por confiarem na minha escolha e por me acompanharem na dieta. Sou grata por morar em um lugar que me permite “baixar o giro” e pela água mineral maravilhosa daqui. Sou absurdamente grata ao Dr Cícero. Não fosse pelos estudos e a generosidade dele, eu não estaria tão bem. E sim, eu sou muito grata pelo meu diagnóstico. É por causa da EM que hoje eu tenho tanta saúde e qualidade de vida!
.
Ah, minha visão está maravilhosa de novo!
.
***o Protocolo COIMBRA consiste na suplementação de vitamina D em altas doses. Fazemos também a suplementação de outras vitaminas e minerais. Requer dieta restritiva de cálcio, atividade física e muita hidratação. Cuidar da saúde mental também é super importante e é fundamental o acompanhamento com um médico treinado. Não suplemente nada sozinho, pelamor!***
.
A foto que ilustra esse texto foi tirada durante meu período de internação.
Marília Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *